Se preferir navegue por Categoria


Dias após apresentar diversos novos headsets e caixas de som portáteis, e de anunciar a chegada dos fones Live Pro Plus TWS ao Brasil, a JBL traz agora ao país a caixa de som Bluetooth BassPro Go. O dispositivo se destaca pelo formato curioso, munido de uma base especial para automóveis, prometendo som de alta potência, resistência e versatilidade.


BassPro Go se destaca pelo formato 2 em 1
O maior destaque da BassPro Go é o formato 2 em 1 — trata-se de uma caixa de som Bluetooth bastante encorpada, acompanhada de base fixa que deve ser acoplada em carros, geralmente no porta-malas, para se transformar em um subwoofer automotivo, sem deixar a portabilidade de lado ao permitir desconexão rápida do veículo.


A JBL destaca como o acessório é conveniente, atendendo às suas necessidades de acordo com o momento, além de robusto, contando com certificação IPX5 de resistência a respingos de água.


A caixa é equipada com sistema de som que garante 100 W de potência RMS e entrega resposta de frequência entre 40 Hz e 20 kHz, a -3 dB, contando ainda com Bluetooth 4.2 para se conectar a até três dispositivos simultaneamente ou outras duas BassPro Go para entregar som mais robusto, com a tecnologia JBL Connect.


A bateria tem capacidade de 3.000 mAh e promete até 8 horas de autonomia, trazendo carregamento via porta USB 2.0 com potência de 10,5 W. O acessório também atua como uma power bank, sendo capaz de recarregar celulares e outros dispositivos móveis.
Preço e disponibilidade

A JBL BassPro Go já está disponível através do site oficial da JBL, apenas na cor preta, com preço sugerido de R$ 3.499.


JBL BassPro Go: ficha técnica
  • Potência do amplificador, modo subwoofer: 100 W RMS
  • Reposta de frequência: 40 Hz a 20kHz a -3 dB
  • Filtro lowpass, modo subwoofer: 80/100/120 Hz
  • Reforço de graves: 0dB até +6 dB a 45 Hz
  • Versão do Bluetooth: 4.2
  • Bateria: 3.000 mAh, com carregamento via USB 2.0 de 10,5 W (5V/2,1 A)
  • Potência do fusível: 15 A

Fonte: JBL

Desde o Último dia 17 de Setembro o instagram passou a exibir o desenho de "Corrente" acessível na parte de figurinhas para substituir o famosos "Arrasta pra cima"


Semanas atrás já era possível vê avisos sobre a mudança logo ao abrir o App, A novidade chega pra aposentar de vez todos os Gifs que tanto fizeram sucesso de "arrastar pra cima".

Imagem: Mario Batista

O novo modo de colocar links nos Stories muda para a parte de figurinhas na opção "Link"

Imagem: Mario Batista

Imagem: Mario Batista

Ao clicar nessa nova figurinha o usuário poderá colocar o link desejado (Semelhante a função arrastar antiga)

Imagem: Mario Batista

Com a atualização dessa função, diferentemente do antigo "Arrasta pra cima", o link que o usuário inserir ficará visível no Story (Mas apenas a parte principal do domínio).

Reprodução: Honey Gain

Recentemente lançamos aqui no MultiMidia Info um artigo onde falamos dos avisos emitidos pelo sistema de proteção do Google Play (Play Protect) sobre os riscos que os usuários estavam suscetíveis a passar ao continuar utilizando o App Honey Gain, o sistema até desabilitou o App dos dispositivos, cabendo ao usuário reativa-lo novamente.

Em resposta ao nosso comunicado via Email a equipe Honey Gain nos explicou o seguinte;


"O aviso que você recebeu não é um caso isolado em relação à Honeygain. Devido a certas atualizações feitas no serviço Play Protect do Google, uma grande quantidade de aplicativos baixados via download comum (instalados diretamente por meio de arquivos .apk em vez de baixados da Play Store) foram afetados pelo mesmo aviso.

Fique tranquilo, assim como o processo de instalação em si não requer dados pessoais ou quaisquer permissões, o aplicativo Honeygain não pode causar danos ao seu dispositivo.

Nós simplesmente sugerimos continuar com o uso e instalação do aplicativo. Você pode fazer isso expandindo a seção "Detalhes" e pressionando o botão "Instalar mesmo assim".

Além disso, sugerimos atualizar o aplicativo para a versão mais recente, pois isso resolve o problema do aparecimento do aviso falso.

Apenas a versão 0.9.1 do aplicativo Android foi sinalizada como falsa.

Todas as versões anteriores (0.2.0–0.9.0 e 0.9.2 (a versão mais recente)) não são afetadas."

No comunicado ao MultiMidia Info o Gerente Sênior de atendimento ao cliente ainda nos informa que o usuário poderá baixar a versão mais recente do aplicativo Honeygain para Android através desse Link.

Mais informações sobre esse problema podem ser encontradas aqui (Somente em Inglês)

Reprodução: honeygain

Vários aplicativos baixados fora da Play Store vem sofrendo o mesmo tipo de aviso por parte do sistema de proteção Play Protect do Google, alguns são apenas erros de atualização como o caso da Honey Gain, mas fique atento e sempre se preocupe em checar com cuidado as fontes de onde você esta baixando seus aplicativos, assim como o Honey Gain que usa cerificado SLL em seu site, baixe apenas aplicativos de fora da Play Store em sites confiáveis que tenham boas referências.

Reprodução: Honey Gain

Confira o trabalho desse talentoso Artista e ilustrador Digital


O Artista Digital e ilustrador de pseudônimo Samukarts em suas redes sociais "reimagina" os personagens de Dragon Ball Z como os amados personagens de Chaves.


































Com software de edição de imagem o Artista digital traz realmente a vida personagens tão queridos e distintos da Ásia e America Latina ao mesmo tempo, seu instagram já se aproxima dos 20 mil seguidores e o número de fãs só tende a crescer já que o artista posta muito conteúdo da cultura Nerd.



Em suas ilustrações Roberto Gómez Bolaños, o amado personagem chaves, se transforma no Androide 17, já o personagem de María Antonieta de Las Nieves, a Chiquinha, seria a Androide 18. Carlos Villagrán, o bochechudo Quico, se transforma no Androide Cell.


Édgar Vivar, o Sr. Barriga e o Nhonho, encarnam o Androide 19, já o Rubén Aguirre, o Professor Jifafales seria o Androide 16. E com destaque especial para Eterno e engraçadíssimo Seu Madruga (Ramón Valdés), como o Dr. Maki Gero, criador dos Androides.

































Confira as Redes Sociais do Artista: Instagram / Facebook

Aplicativo Honey Gain vem sendo desativado em dispositivos de usuários.


Aplicativo Honey Gain, um dos queridinhos da galera que procura uma renda passiva, (e que não esta presente oficialmente na Play Store) começou a ser alvo do sistema de proteção da Google Play Store.

Reprodução: Mario Batista

O Play Protect que regularmente verifica se os aplicativos que estão instalados nos aparelhos do usuário tem comportamentos nocivos, Se algum risco de segurança for encontrado o usuário recebe essa notificação acima.

Reprodução: Mario Batista

O sistema de proteção do google desabilita o aplicativo "Potencialmente" nocivo, cabendo apenas ao usuário acatar o aviso do google ou por decisão própria reabilitar o App em questão.

Reprodução: Mario Batista

O sistema Play Protect esta em constante verificação para detectar Apps suspeitos ou nocivos para seu aparelho, entre os avisos mais graves do Play Protect sobre o App do Honey Gain estão o de que o App tenta controlar seu dispositivo e roubar seus dados, apesar do aplicativo ser mundialmente conhecido e quase não haver relatos de problemas por seus próprios usuários e também grandes portais de tecnologia, na tarde desse sábado 18, os primeiros avisos começam a aparecer em aparelhos de diversos países, inclusive na índia.

Reprodução: Twitter

Usuário indiano em uma postagem no Twitter posta o mesmo aviso do Play Protect que já recebemos aqui no Brasil, e na legenda o mesmo faz a pergunta, "@Honeygain_App Ainda devo usar o aplicativo?"

Reprodução: Twitter

Até o momento do fechamento dessa matéria não tivemos relatos de uso indevido por parte do Honey Gain com dados dos usuários ou relatos de vítimas por serem prejudicadas pelo uso do App, sendo que a decisão do uso ou não do aplicativo no aparelho fica mesmo a cargo de cada usuário.

Você sabia que é possível fazer mais de 50 comandos diferentes com a tecla “Windows” do seu computador? Os atalhos de tecla, são uma alternativa inteligente que os computadores oferecem para fazer várias funções diretamente pelo teclado. Assim, em alguns casos você nem vai precisar usar o seu mouse.

Quem me acompanha por aqui, já deve ter visto algumas matérias com temas parecidos, né? No Canaltech, também temos outras matérias dedicadas aos comandos e teclas dos computadores:

Mas, hoje vamos falar dos comandos que você pode fazer usando a tecla Windows no seu computador! Confira nas próximas linhas!

55 Comandos que você pode fazer com a tecla Windows no PC
Windows 10

No Windows 10, você pode aproveitar as seguintes combinações de teclas:


1. Tecla Windows: abrir ou fechar o Menu Iniciar;
2. Windows + A: abrir ou fechar a Central de Ações;
3. Windows + B: define o foco na Área de notificação;
4. Windows + C: abre a Cortana no modo de escuta.
5. Windows + shift + C: abre o menu de botões;
6. Windows + D: mostra ou ocultar a área de trabalho;
7. Windows + Alt + D: mostra ou ocultar data e hora na área de trabalho;
8. Windows + E: mostra o explorador de arquivos;
9. Windows + F: abre o Hub de Feedback e tirar uma captura de tela;
10. Windows + G: abre a Barra de jogo quando um jogo é aberto;
11. Windows + H: inicia a função de ditado;
12. Windows + I: abre configurações;
13. Windows + J: define o foco para uma dica do Windows quando houver uma disponível;
14. Windows + K: abre a ação rápida “Conectar”;
15. Windows + L: bloqueia seu computador ou muda de conta;
16. Windows + M: minimiza todas as janelas;
17. Windows + O: bloqueia a orientação do dispositivo;
18. Windows + P: escolhe um modo de exibição de apresentação;
19. Windows + Ctrl + Q: abre a assistência rápida;
20. Windows + R: abre a caixa de diálogo Executar;
21. Windows + S: abre a pesquisa;
22. Windows + Shift + S: faz captura de uma área selecionada da tela;
23. Windows + T: percorre os aplicativos da barra de tarefas;
24. Windows + U: abre a central de acessibilidade de acesso;
25. Windows + V: abre a Área de transferência;
26. Windows + Shift + V: percorre as notificações;
27. Windows + X: abre o menu Link Rápido;
28. Windows + Y: alterna a entrada entre o Windows Mixed Reality e a área de trabalho;
29. Windows + Z: exibe os comandos disponíveis em um aplicativo no modo de tela inteira;
30. Windows + . (ponto, ou ponto e virgula): abre o menu de emojis;
31. Windows + , (virgula): espia temporariamente a área de trabalho;
32. Windows + Pause: abre a caixa de diálogo Propriedades do Sistema;
33. Windows + Ctrl + F: procura por computadores (se você estiver em uma rede);
34. Windows + Shift + M: restaura as janelas minimizadas na área de trabalho;
35. Windows + (número): abre a área de trabalho e inicia o aplicativo fixado na barra de tarefas, na posição indicada pelo número. Se o aplicativo já estiver em execução, mudar para esse aplicativo;
36. Windows + Shift + (número): abre a área de trabalho e inicia uma nova instância do aplicativo fixado na barra de tarefas, na posição indicada pelo número;
37. Windows + Ctrl + (número): abre a área de trabalho e muda para a última janela ativa do aplicativo fixado na barra de tarefas, na posição indicada pelo número;
38. Windows + Alt + (número): abre a área de trabalho e abre a Lista de Atalhos do aplicativo fixado na barra de tarefas, na posição indicada pelo número;
39. Windows + Tab: abre a visão de tarefas;
40. Windows + seta para cima: maximiza a janela;
41. Windows + seta para baixo: remove o aplicativo atual da tela ou minimiza a janela;
42. Windows + seta para esquerda: maximiza a janela do aplicativo ou da área de trabalho, no lado esquerdo da tela;
43. Windows + seta para direita: maximiza a janela do aplicativo ou da área de trabalho, no lado direito da tela;
44. Windows + Home: minimiza todas as janelas da área de trabalho, exceto a ativa (restaura todas as janelas com um segundo pressionamento);
45. Windows + Up seta: alonga a janela da área de trabalho até as partes superior e inferior da tela;
46. Windows + Shift + seta para direita ou esquerda: move um aplicativo ou janela para outro monitor;
47. Windows + barra de espaço: altera o idioma de entrada e o layout do teclado;
48. Windows + Ctrl + barra de espaço: altera para uma entrada selecionada anteriormente;
49. Windows + Ctrl + Enter: liga o narrador;
50. Windows + sinal de adição: ativa a lupa;
51. Windows + / (barra): começa a reconversão IME;
52. Windows + Ctrl + V: abre os alertas;
53. Windows + Ctrl + Shift + B: ativa o computador na tela preta e branca;
54. Windows + F1: abre a central de ajuda;
55. Windows + Esc: sai da Lupa;

Fonte: Microsoft

Microsoft deve anunciar Surface Duo 2, Surface Pro 8 e sucessor para Surface Book 3; computadores já devem ter suporte ao Windows 11

Surface Pro 7 deve ganhar sucessor em setembro (Imagem: Divulgação/Microsoft)

A Microsoft divulgou, nesta quarta-feira (1º), o convite para um evento no dia 22 de setembro, no qual deve apresentar sua nova linha de produtos Surface. Entre os aparelhos esperados para a ocasião, estão o Surface Duo de segunda geração — celular com duas telas e Android — e novos computadores Surface, que já devem rodar o Windows 11.

Suposto Surface Duo 2 (Imagem: Reprodução/Tech Rat via YouTube)

Surface Pro 8 com Windows 11
Como sugere a imagem do convite, um novo modelo da linha Surface Pro deve dar as caras no evento. As expectativas sobre o Surface Pro 8 são modestas em relação às mudanças visuais. O 2 em 1 deve ter um hardware semelhante ao Pro 7, com alguns ajustes em detalhes para parecer mais sofisticado. A tela pode ser ligeiramente maior, com 12,7 ou 13 polegadas.

Outras especificações esperadas incluem processador Intel de 11ª geração (Core i3-1125G4, i5-1155G7, i7-1185G7 ou i7-1195G7), armazenamento em SSD de até 1 TB, e o fim do modelo de 4 GB de RAM — teríamos opções com 8 GB, 16 GB e 32 GB.

O suporte ao Windows 11 deve possibilitar ainda que a Microsoft lance uma nova caneta Surface com feedback tátil, para ser usada com o dispositivo.

Surface Pro aparece em convite da Microsoft para evento em setembro (Imagem: Divulgação)

Surface Book 4 ou Surface Laptop Pro
É esperado que a Microsoft lance um sucessor para o Surface Book 3 em setembro. Apesar disso, o notebook pode não se chamar Surface Book 4, e sim Surface Laptop Pro ou Surface Laptop Studio, de acordo com o Windows Central.

De todo modo, o computador deve ter tela não removível de 14 polegadas com alta taxa de atualização dinâmica, e um chip mais poderoso, com processador de 6 ou 8 núcleos. Ele também deve trazer placa de vídeo RTX, da NVIDIA.
Surface Duo 2 deve ter Snapadragon 888, da Qualcomm

Com especificações vazadas em julho, o Surface Duo 2 deve contar com o chip Snapdragon 888, da Qualcomm, um octa-core de até 2,84 GHz. O suposto celular também apareceu no Geekbench, com memória RAM de 8 GB, e atingindo pontuação de 1.091 no teste de um único núcleo e 3.517 no multi-core.

A segunda geração do Surface Duo deve trazer Android 11 de fábrica, suporte a redes 5G e chip NFC. Também são esperadas três câmeras na traseira, uma com lente teleobjetiva, outra ultrawide e a lente padrão (grande-angular).

O smartphone deve manter duas telas separadas em vez de optar por uma tela dobrável, como a do Samsung Galaxy Z Fold 3.

Via: tecnoblog


Agora é oficial: a Microsoft começou a "ejetar" usuários do programa Windows Insider que possuem PCs ou notebooks incompatíveis com o novo Windows 11. A infeliz notícia foi confirmado por diversos testadores nas redes sociais e provocou até mesmo um sentimento de revolta entre alguns.

Quando anunciou o Windows 11 no agora distante mês de junho, a Microsoft permitiu que muitos usuários com PCs antigos, sem chip TPM 2.0 ou com processadores de gerações mais velhas pudessem instalar o Windows 11. A própria desenvolvedora alega que isso era necessário para ver como o novo software se comportaria nessas máquinas.

Com o lançamento oficial programado para o dia 5 de outubro, a Microsoft está exigindo que usuários que estavam no canal Dev e tem PCs incompatíveis reinstalem o Windows 10. Isso porque as atualizações do Windows 11 serão bloqueadas oficialmente.


Em sua justificativa, a Microsoft afirma que PCs mais recentes tem uma taxa de estabilidade no Windows 11 que chega a 99,8%. Já os computadores mais antigos atingiram o número de 99,7%.

A diferença é de apenas 0,1% e a Microsoft não explicou ao certo a sua métrica, mas isso já foi o suficiente para impedir que esses PCs pudessem usar o Windows 11.

Claro que esse dado também pode ter sido crucial para que a gigante de Redmond permitisse que usuários pudessem instalar o Windows 11 via ISO em PCs incompatíveis. No entanto, o bloqueio do Windows Update segue praticamente a mesma lógica aplicada no programa Insider.

Aqueles usuários que quiserem permanecer no Windows 11, não precisam voltar ao 10. Contudo, seu PC não receberá novas compilações e isso pode fazer muita gente retornar para a versão anterior, uma vez que ela tem suporte garantido até 2025.

As imagens confirmam que o pedido de resgate para a liberação dos arquivos feito à empresa é de US$ 1 bilhão (R$ 5,42 bilhões).


A Renner, uma das mais famosas lojas de roupas do Brasil, foi vítima de um ataque ransomware que paralisou parte de seu funcionamento. De acordo com imagens compartilhadas na internet e uma nota oficial, o ataque derrubou operações da empresa em sites e até mesmo no aplicativo.

Nas redes sociais e em grupos do Whatsapp começaram a circular as primeiras mensagens e imagens sobre o ataque e pouco tempo depois os usuários notaram os problemas no site.

Segundo as imagens divulgadas, o ataque criptografou os servidores da empresa, o que acabou impossibilitando o uso do sistema em grande parte de suas operações.

O ataque veio com um aviso sobre como recuperar o acesso aos arquivos e como receber mais informações sobre o resgate, algo bem comum em ataques de ransomware.

“Olá Lojas Renner S.A.! Primeiro de tudo, isso é apenas negócios e a única coisa que estamos interessados é seu dinheiro. Seus arquivos foram criptografados.

não tente renomear ou modificar os arquivos criptografados porque isso pode resultar em sérios problemas de perda de dado e erro de decriptografia (…)”

Suposta nota enviada para a Renner após o ataque que criptografou dados importantes da empresa.

Hackers exigem R$ 5,4 bilhões para liberar sistemas
As imagens que foram divulgadas também mostram que o pedido de resgate para a liberação dos arquivos feito à empresa é de US$ 1 bilhão (R$ 5,42 bilhões). Fontes apontam que mais de 2.000 servidores foram afetados pelo vírus sequestrador.

Hackers pedem US 1 bilhão

No momento da escrita deste artigo o site da Renner continua fora do ar, indicando que o ataque, ou pelo menos o processo de recuperação, continua afetando parte dos servidores.

Em nota oficial aos seus acionistas a Renner revelou o ataque cibernético em seus servidores, mas disse que prontamente acionou todos os protocolos de controle e segurança para conseguir minimizar os impactos causados aos sistemas da loja.

Aviso de indisponibilidade no site da Renner, alertando também que o funcionamento do aplicativo também está suspenso.

Vazamento de dados
A Renner também informou que os bancos de dados permanecem preservados e que as informações dos clientes não foram afetadas. A empresa também destaca que em nenhum momento as lojas físicas foram afetadas pela interrupção dos sistemas, indo contra as informações iniciais de que lojas precisaram fechar as portas durante o período do ataque.

O site TheHack afirmou que entrou em contato com lojas da Renner e que o funcionamento físico está normal, com exceção do sistema de pagamento que está aceitando apenas dinheiro, possivelmente consequência do ataque de ransomware.

“A Companhia manterá o mercado informado de qualquer informação relevante relacionada a este evento, e informará as autoridades competentes nos próximos dias.” Finaliza a nota

Nota Oficial das Lojas Renner ao mercado e acionistas.

O valor de US$ 1 bilhão também não veio de fontes oficiais e sim dos muitos vazamentos que estão circulando nas redes sociais.

Em ataques assim, como aconteceu com a JBS, é normal um valor de resgate alto, já que os criminosos costumam estudar o perfil da vitima.

No caso da JBS a empresa teve que pagar R$ 55 milhões, não se sabe quanto ou se a Renner vai decidir realizar o pagamento do resgate. Nenhuma das fontes falou qual seria a forma de pagamento do resgate, mas nesses casos é comum que seja em criptomoedas, principalmente o Bitcoin e Monero.

O ataque de sequestro de dados da Renner com certeza causa um grande impacto para a empresa e pode até mesmo afetar o desempenho das ações da companhia nos próximos dias.

Enquanto isso, os ataques de Ransomware continuam comuns dentro de diferentes industriais, se tornando uma das principais ameaças para grandes empresas.

Fonte: Livecoins

Presente em mais de 90% dos smartphones usados no Brasil, o WhatsApp rapidamente dominou os meios de comunicação: os diálogos com parentes, amigos, colegas de trabalho, e até empresas, acontecem principalmente através do mensageiro instantâneo. Com a quarentena da pandemia de coronavírus, isso é ainda mais verdadeiro, já que para muitos o WhatsApp se tornou a única forma de interação graças ao distanciamento social. 

             O grande perigo é que toda vez que uma tecnologia se torna comum, pessoas má intencionadas buscarão algum método para abusar do sistema. Um exemplo é o golpe de clonagem de conta de WhatsApp que, de acordo com especialistas em segurança digital da PSafe e ExpressVPN, cresceu de forma alarmante no Brasil em 2021. Quer saber como funciona a clonagem e como evitar se tornar uma vítima do golpe? Confira nosso artigo completo.

O que é exatamente a clonagem? 

            Apesar de muitas pessoas já terem ouvido falar no golpe, poucos realmente sabem no que exatamente consiste a clonagem de uma conta de WhatsApp, um dos métodos de roubo virtual mais bem-sucedidos no país. O golpe permite que o hacker  “clone” a conta de outra pessoa em seu aparelho. Como resultado, o invasor ganha a habilidade de enviar e receber mensagens se passando pela vítima, podendo simular emergências para solicitar dinheiro de amigos e familiares, ler dados pessoais, ou até prejudicar diretamente as relações do usuário.  

            O golpista também pode exigir um pagamento de chantagem para evitar vazar dados pessoais, imagens comprometedoras, mensagens mentirosas para colegas de trabalho e parceiros românticos, entre outros danos morais à vítima. 


Como proteger minha conta?

            Existem dois mecanismos principais que permitem a clonagem de WhatsApp: o mais simples envolve o uso do WhatsApp, principalmente sua versão web para computador, em uma rede pública ou dispositivo compartilhado. Uma série de ataques como redirecionamento de DNS e roubo de cookies pode permitir que um meliante obtenha acesso à conta. Neste caso, especialistas recomendam conhecer melhor uma VPN brasileira e sempre mantê-la ativa caso precise usar redes públicas. No geral, o ideal é evitar o uso do WhatsApp Web em ambientes pouco seguros, e buscar usar os melhores navegadores para ter privacidade na internet. 

Outro mecanismo menos conhecido, mas extremamente perigoso, é a clonagem do próprio chip da operadora, método baseado no suborno ou enganação de um funcionário de operadora de telefonia. Neste caso, o meliante obtém um cartão SIM com o mesmo número de telefone que a vítima, e com isso, pode ativar a conta do WhatsApp em outro smartphone.


Como saber quando o WhatsApp foi clonado? 

            Infelizmente, não há forma definitiva de reconhecer imediatamente uma conta clonada, mas alguns pontos são fortes indícios de uma situação anormal:

 

     Mensagens alteradas espontaneamente: se reparar que mensagens em seu histórico de conversa estão desaparecendo, sendo apagadas, ou sendo escritas sem que você se lembre de ter realizado essas ações, é provável que outra pessoa esteja usando sua conta.

     Dispositivos do WhatsApp Web: na aba de configurações do aplicativo, é possível ver a lista de todos os aparelhos conectados ao WhatsApp Web. Caso um dispositivo na lista não seja reconhecido, se trata de uma invasão de conta.

     SMS de ativação: se você não trocou de aparelho celular, modificou seu chip de operadora, ou restaurou um backup do Android ou iOS mas recebeu um SMS de verificação de conta do WhatsApp, alguém está tentando invadir sua conta.

  

É possível impedir a clonagem de WhatsApp? 

O melhor método de prevenção para a clonagem de contas é ativar a Autenticação de Duas Etapas nas configurações do app. Ao ativar esta opção, uma senha numérica será criada para sua conta. Mesmo com o chip de operadora em mãos, um meliante não seria capaz de ativar sua conta em outro dispositivo pois não saberia a senha necessária, evitando o golpe. Métodos para burlar a autenticação de duas etapas começaram a aparecer no Brasil, mas rapidamente foram corrigidos, desde que o usuário jamais compartilhe seus códigos.

 Este ponto merece destaque: funcionários do Facebook ou WhatsApp, agentes do Ministério da Saúde ou forças policiais, empregados de lojas virtuais, amigos ou parentes, jamais precisarão do seu código de autenticação em qualquer hipótese, por isso, nunca compartilhe-o, qualquer tentativa de obter seu código se trata de golpe. 

Para este e outros ataques eletrônicos, cada vez mais perigosos e presentes em nossas vidas, é necessário manter-se atualizado com as últimas notícias de segurança digital e tecnologia. Assim como cuidamos da segurança física de nossas casas com cadeados, câmeras, cercas e outras ferramentas, nossa segurança digital também merece atenção redobrada. Confira também: Modo Escuro do WhatsApp: Veja como ativar


A startup canadense Geometric Energy Corporation (GEC) tem uma ideia bastante ousada para exibição de anúncios. Acredite se quiser, a empresa quer colocar outdoors no espaço. E para fazer com que esse projeto se torne uma realidade, a startup pretende firmar uma parceria com a SpaceX.

O projeto consiste em um satélite CubeSat com uma grande tela, onde empresas poderão dar lances para exibir seus logotipos e anúncios. Para o CEO da Geometric Energy, Samuel Reid, o interesse em anunciar em um outdoor no espaço pode ir desde empresas que desejem realizar campanhas de marketing, até algo mais pessoal e com um viés mais artístico.

Quem dá mais?
O conceito de um outdoor exibido no espaço, por si só, já é bastante interessante, mas tem como essa história ganhar contornos ainda mais curiosos: a forma de contratação do espaço publicitário. Qualquer pessoa poderá comprar um espaço no satélite da GEC, desde que pague mais do que o lance de outra pessoa por isso.

De acordo com Reid, seu objetivo é conseguir democratizar o acesso ao espaço publicitário, além de permitir uma participação descentralizada. Perguntado sobre o risco de conteúdo impróprio ou insultuoso em um dos anúncios, Reid acredita que ninguém desperdiçaria uma quantia em dinheiro, que não seria baixa, para fazer este tipo de piada.

Relação com a SpaceX
Samuel Reid foi professor de alguns dos filhos de Elon Musk. Imagem: Mike Blake/Reuters

A forma de pagamento preferencial para os espaços publicitários será a Dogecoin. Será possível comprar cinco diferentes tokens para ganho de espaço no satélite. Gamma, determina o brilho da tela, Kappa, a cor, Beta, a coordenada X, Rhoe, que determina a coordenada Y e, por fim, Xi, que determina o horário em que o anúncio será exibido.

Procurada pelo Insider, a SpaceX não comentou sobre sua parceria com a GEC para a exibição de propaganda no espaço, o que faz com que seja possível que a parceria não se concretize no futuro. Porém, já se sabe que Reid foi professor de alguns dos filhos de Elon Musk, e que foi essa relação que permitiu que a empresa do bilionário sul-africano ouvisse sua proposta.

Com informações do Insider


Dependendo da área em que você trabalha, ter dois monitores para desempenhar suas atividades é quase que crucial. Mesmo em áreas que não exijam tanta aparelhagem ou tecnologia, ter duas telas para consultar dados ao mesmo tempo, escrever, conferir notificações, etc, pode ajudar, e muito, a economizar o seu tempo naquele abre e fecha de abas.

No entanto, não é todo mundo que possui dois monitores para ajudar no fluxo das atividades do dia a dia. Mas, temos uma boa notícia para você, é possível dividir apenas uma tela em até quatro partes e trabalhar em todas ao mesmo tempo.

O recurso é um atalho nativo do Windows, ou seja, não é preciso baixar nenhum aplicativo externo e é necessário ter esse sistema operacional em seu computador. Acompanhe o tutorial abaixo e saiba como dividir a tela do seu PC.

Como dividir a tela do computador?
1. Com uma das abas abertas, pressione a tecla do Windows – aquela com as quatro janelinhas – e toque na setinha para a direita do teclado. A seta direciona onde a aba será aberta;

Imagem: MultiMidia Info

2. As abas automaticamente se dividirão. A que estava aberta será jogada para o lado direito e as outras aparecerão como miniaturas ao lado esquerdo. Escolha qual delas deseja abrir para acessar em conjunto – você pode selecionar com o mouse;


3. Para abrir uma terceira aba e dividir a tela em três, pressione novamente no botão do Windows e toque na seta para cima – ou para baixo. Para ter ainda uma quarta tela, faça o mesmo procedimento, mas toque antes na página que ainda está inteira – onde claramente cabe mais uma “meia aba” aberta.


Prontinho! Telas divididas. Você pode trabalhar nas quatro ao mesmo tempo. Caso tenha outras abas, você também consegue acessá-las – da forma tradicional – sem alterar as dimensões das outras. Exemplo: se você está com a tela dividida em quatro (Excel, Google, PowerPoint e Documentos) e precisa retornar a uma outra (Word), você pode clicar normal e, para voltar e encontrar as quatro abas da mesma forma, minimize o Word.

MKRdezign

Fale com o MultiMidia Info

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget