Dezembro 2020

Apresentados no início deste mês, os AirPods Max marcam a entrada da Apple no mercado dos headphones sem fios em nome próprio. Este é um produto de luxo, tanto pela sua qualidade como pelo seu preço de venda.

Após algumas semanas no mercado, eis que surgem relatos de um problema preocupante nos AirPods Max. Segundo o mencionado, estes headphones começam a ganhar algumas gotas de água no interior dos seus earpads.


Formação de gotas de água dá-se após longos períodos de uso
Um dos primeiros relatos deste género foi publicado por Donald Filimon, um utilizador americano dos AirPods Max. O relato é dado no seu perfil no Twitter, como ainda no Reddit.

Filimon documenta como o seu exemplar dos AirPods Max formou gotas de água por trás dos protetores de ouvido. De acordo com o seu relato, este fenómeno de condensação deu-se após longos períodos de utilização.



O queixoso refere que isto aconteceu após uma utilização de cerca de doze horas, dentro de uma divisão um pouco fria até. Devido à falta de uma certificação IP, o utilizador teve o cuidado de os usar num local com pouca humidade.

Depois deste relato, foram vários os utilizadores do Reddit a queixarem-se de situações semelhantes. Por enquanto, ainda não se pode afirmar que este seja um fenómeno recorrente e alargado, mas levanta algumas preocupações.
Falhas na deteção do ouvido originam esta descoberta

No relato de Donald Filimon, podemos ler que ele provavelmente nunca daria conta do problema caso os seus AirPods Max não deixassem de funcionar corretamente. Em causa, está a falha destes headphones em reconhecer quando o utilizador os usa efetivamente.

Perante este problema, Filimon decidiu retirar as almofadas dos seus AirPods Max e isso fez com que se deparasse com algumas gotas de água no interior. Vale notar que a deteção de ouvido voltou a funcionar corretamente após uma limpeza interior dos headphones.

Este relato alerta para o facto de este fenómeno poder originar problemas mais gravosos e que colocam em causa o bom funcionamento dos AirPods Max. Há data da escrita deste artigo, a Apple ainda não se pronunciou sobre o sucedido.

A condensação em headphones após longos períodos de utilização não é novidade, mas não costuma atingir estas proporções. Para este resultado, poderá contribuir ativamente o exterior metalizado dos AirPods Max.

Fonte: 4gnews

Imagens revelam dispositivo usado no desenvolvimento do primeiro Apple Watch e software que seria versão pré-watchOS 1.0

A Apple costuma ser bastante reservada no que diz respeito ao desenvolvimento de seus produtos. Mas vazamentos recentes parecem revelar, em vídeo, o que teria sido um protótipo do Apple Watch original. O dispositivo conta ainda com uma versão funcional do software pré-watchOS 1.0 instalada.

Suposto protótipo confidencial do Apple Watch (Imagem: Reprodução/AppleDemoYT)

As imagens foram divulgadas pelo usuário Apple Demo (@AppleDemoYT) no Twitter. O vídeo começa com a embalagem de papelão que teria sido utilizada para proteger o protótipo. O pacote traz um aviso de confidencialidade no rótulo e afirma que o produto participa de um programa de “ultra” segurança.

A tela do “pré-Apple Watch” está parcialmente escondida por uma capa de proteção, e tem apenas dois botões no lado esquerdo. A case exibe ainda uma espécie de botão Home embutido. Nesta versão, não havia ainda uma coroa digital.

Vídeo permite “espiar” desenvolvimento do watchOS

Uma das partes mais interessantes do vídeo mostra o software em funcionamento, quando o relógio é ligado. É possível visualizar a marca da Apple e, sem seguida, o mostrador de ponteiros.

Ao acessar os aplicativos, o protótipo revela o ícone de Lisa Simpson. Trata-se de um app de testador chamado “Lisa”, provavelmente em homenagem à filha de Steve Jobs e uma referência ao Apple Lisa, o computador da marca lançado em 1983. Esse software tem ferramentas que permitem ajustar elementos da interface do relógio.

As configurações revelam ainda que o dispositivo não foi homologado pela FCC e, portanto, não pode ser vendido, o que reforça a ideia de que se tratava realmente de um protótipo.

Novas fotos mostram produção do iPhone original
Ainda no clima nostálgico, novas imagens que circulam na web mostram o processo de fabricação do primeiro iPhone, em 2007. As fotos de bastidores também trazem um breve olhar de como era a interface no processo de validação dos celulares.


Com informações: The Verge e 9to5Mac


Tem coisa mais chata do que tirar uma foto que tem tudo para ficar sensacional e, ao dar uma olhada no resultado, descobrir detalhes indesejados? Todo mundo passou por isso ou vai passar, mas ainda bem que existem pessoas que dominam a arte do Photoshop e são capazes de tornar o registro memorável — mesmo que não da maneira esperada.

Pensando nesses artistas muitas vezes incompreendidos, selecionamos 11 vezes em que um pedido de ajuda no Photoshop virou trollagem, para a tristeza de muitos e para a nossa alegria.

Faça você mesmo

Não disse o quanto ¯\_(?)_/¯

Passo a passo


MITO

Tudo pela série A


Valar Dohaeris

Os live actions foram longe demais

Cada risada é uma pontada no ciático
No seu dia a dia profissional ou para dar gostosas risadas, o Photoshop e seus recursos exclusivos oferecem as ferramentas certas para cada situação. Criações diversas são possibilitadas com o programa da Adobe que se tornou referência em edição de imagem. Se quiser trollar ou ser trollado, usar para fins sérios e outros nem tantos, uma coisa é certa: com ele, a magia acontece. Aliás, falando em magia...

Bônus

Fontes: Adobe


Sistema Operacional Android 10
Disponibilidade 2020/4
Dimensões 161 x 76 x 8.7 mm
Peso 181 gramas




REDE
Sim Card Nano
Dual Sim Dual stand-by
Gsm Quad Band (850/900/1800/1900)
HSPA+ Sim
LTE Sim
Velocidade máxima de download 
390 Mbps
Velocidade máxima de upload 
150 Mbps



DADOS TÉCNICOS
Processador 4x 2.0 GHz Kyro 260 + 4x 1.8 GHz Kyro 260
Chipset Snapdragon 662 Qualcomm SM6115
64 Bit Sim
GPU 
Adreno 610
RAM 
4 GB
Memória Max 
128 GB
Memória Expansível 
Micro SD atè 512 GB


TELA
Polegadas 
6.39
Resolução 
720 x 1560 pixel
Densidade de pixels 
269 ppi
Tipo 
IPS LCD
FPS 
60 Hz
Cores 
16 milhões



CÂMERA
Megapixel 
48 Mp + 5 Mp + 2 Mp + 2 Mp
Resolução 
4128 x 3096 pixel
Aperture Size 
F 1.8
Estabilização 
Digital
Autofoco 
Sim
Foco por toque 
Sim
Flash 
Dual LED
HDR 
Sim
Localização 
Sim
Detecção facial 
Sim
Câmera Frontal 
16 Mp F 2



VÍDEO
Resolução da gravação 
4K (2160p)
Auto focagem de vídeo 
Sim
FPS da gravação 
30 fps
Foto em Vídeo 
Sim
Vídeo Câmera Frontal 
Full HD, 30fps



 CONECTIVIDADE
Wi-Fi 802.11b/g/n
Bluetooth 
4.2 com A2DP/LE
USB 
Type-C 2.0
NFC 
Sim
GPS 
A-GPS/GLONASS/BeiDou/Galileo

SENSORES
Acelerômetro Sim
Proximidade 
Sim
Giroscópio 
Sim
Impressão digital 
Sim

FUNÇÕES
Radio FM Sim
Tv
Não
Vibração Sim
Viva Voz 
Sim
Outros 
Wi-Fi Direct,Wi-Fi hotspot, USB OTG

BATERIA
Tipo Litio
Ampere 
4000 mAh


Cada vez mais as pessoas querem ter tudo na palma da mão, ou melhor dizendo, no celular. Com a velocidade do desenvolvimento tecnológico, essa possibilidade está crescendo a passos largos em todo o mundo. Já são contas de banco, carteira de motorista, assistência médica, entre outros na tela do seu smartphone.

Documento Nacional de Identificação (DNI).Fonte: Reprodução / DNI 

Uma nova possibilidade é o Documento Nacional de Identificação (DNI), que reúne o CPF, a Certidão de Nascimento e o Título de Eleitor em um único documento. O DNI é gerado por um aplicativo gratuito, disponibilizado pelo Governo Federal e que pode ser utilizado em smartphones e tablets com sistemas Android e iOS.

O documento digital tem a mesma validade dos impressos, podendo facilitar a vida do cidadão. Mas para tirar o DNI é necessário ter realizado o cadastro da biometria em um cartório eleitoral. Caso não tenha feito, fique tranquilo que também explicaremos como proceder.

1. Como realizar a biometria?
Para tirar o DNI é necessário ter feito a biometria no cartório eleitoral. Caso ainda não tenha feito, basta acessar o site da Justiça Eleitoral, clicar no seu estado e seguir os passos indicados. Você será levado para uma tela de agendamento.

Clique no seu estado para realizar o agendamento da biometria.Fonte: Justiça Eleitoral 

Vale lembrar que a marcação de datas para realizar a biometria está paralisada, devido às eleições municipais. Logo após o exercício de cidadania, o sistema estará apto a realizar novamente o processo.

2. Como gerar o DNI?
Se você já fez o cadastro da biometria, basta seguir os passos a seguir. Antes de prosseguir é importante saber que será necessário fazer um processo virtual e outro pessoal.

A primeira etapa consiste em realizar um pré-cadastro no aplicativo. A validação do restante precisa ser feita de forma presencial, em um dos postos de atendimento indicados após o cadastro.

Pré-cadastro para gerar o DNI.
Fonte: DNI 

1. Baixe o aplicativo e escolha entre as opções Android ou IOS.

2. Após instalá-lo, faça o pré-cadastro e compareça pessoalmente a um dos postos de atendimento indicados no aplicativo.

3. No posto de atendimento, serão validados os dados biométricos com base na análise de impressões digitais e fotografias do emitente do DNI.

4. Caso as informações sejam confirmadas pela Justiça Eleitoral, o cidadão poderá emitir o DNI a partir do smartphone ou tablet.

O DNI foi aprovado pelo presidente Michel Temer, em fevereiro de 2018, com o intuito de reunir diversos registros civis em um único documento, com validade em todo o território nacional. A nova identificação dispensa a apresentação de outros papéis, como CPF, certidão de nascimento, casamento ou título de eleitor.

Fonte: OITEC


O 5G no Brasil dá mais um passo, mas segue marcado por incertezas. Segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo, a Agência Nacional de Telecomunicações, a Anatel, aprovou algumas regras para o futuro leilão do 5G brasileiro. E essas regras não prevêem a exclusão da fabricante chinesa Huawei.

O entendimento da agência vai contra visões já tornadas públicas pelo governo federal que, em alinhamento com o governo norte-americano de Donald Trump, ameaça tirar a Huawei de futuras participações no 5G a ser implantado por aqui. Na minuta obtida pelo jornal, a área técnica da Anatel não prevê a proibição da participação da empresa chinesa. O relatório foi encaminhado a um relator, que faz parte do corpo técnico da agência. Ele, agora, deverá finalizar o processo, que será julgado pelo conselho da Anatel em janeiro do ano que vem. A previsão é que o leilão das faixas de frequência do 5G aconteça em junho de 2021 – quase um ano e meio depois da previsão inicial, planejada para o começo deste ano de 2020.

Dúvidas políticas
Mesmo com esta etapa vencida, e com o processo devendo ser votado no começo de 2021, o 5G brasileiro ainda continua marcado por incertezas. A primeira é política. Ainda há possibilidade de interferência política por parte do governo federal, que pode incluir o banimento da Huawei, contrariando o parecer técnico e também indo de encontro ao que defendem as operadoras. Essa hipótese era muito mais forte antes da derrota de Donald Trump nas eleições. Agora, com a Casa Branca esperando um novo inquilino, o governo e Jair Bolsonaro vê seu alinhamento automático à guerra comercial travada entre Estados Unidos e China um pouco sem rumo, à espera da nova postura trazida pelo governo Biden.

O ecossistema mais diretamente envolvido no 5G (operadoras e órgão regulador) entendem que a exclusão da Huawei traria prejuízos imensos e, talvez, seja tecnicamente inviável num primeiro momento, já que a chinesa é uma das maiores fornecedoras de equipamentos para os atuais parques 3G e 4G. O problema de compatibilidade seria quase intransponível no curto prazo.

Dúvidas técnicas
Há, também, dúvidas de caráter técnico no nosso 5G. Uma das principais diz respeito à interferência que a nova tecnologia vai trazer para as antenas parabólicas. Acontece que a frequência de 3,5 GHz a ser alocada para o 5G deve trazer interferências para quem assiste TV usando parabólicas – e estima-se que cerca de 20 milhões de telespectadores estejam nessa condição no Brasil. A solução tem dois caminhos.

O primeiro seria a instalação de um filtro nos aparelhos – que impediria as interferências. Esses filtros teriam seus custos bancados pelas operadoras vencedoras dos leilões e seriam distribuídos gratuitamente aos usuários.

O segundo caminho seria alterar as frequências usadas pelas empresas de satélites – nos Estados Unidos, por exemplo, esse foi o caminho seguido. O problema é que essa hipótese significaria que as empresas operadoras de satélite teriam de receber algum tipo de ressarcimento – e não está claro quem pagaria por isso, nem se todas as empresas que cobrem o território nacional seriam elegíveis a essas verbas.

Sejam quais forem os caminhos adotados, a certeza do mercado é que o atraso no processo significa apenas uma coisa: perda de receita e até perda de oportunidade de crescimento do PIB nacional. Técnicos estimam que a adoção do 5G por si só tem potencial de elevar o Produto Interno Bruto em cerca de 5%.

5G é uma das principais novidades da Apple para o iPhone 12; descubra se a tecnologia irá funcionar no Brasil

A Apple começou a vender o iPhone 12, e um dos principais destaques dessa geração é o suporte a redes 5G. A tecnologia ainda é incipiente no Brasil, mas já está caminhando nas mãos de operadoras como Claro, Oi, TIM e Vivo. Entenda como isso impacta o smartphone da Apple e descubra a compatibilidade com as redes 5G brasileiras.


iPhone 12 conectado no 5G (Imagem: James Yarema/Unsplash)

O 5G do iPhone 12 funciona no Brasil?

A resposta curta é: sim, funciona.

No Brasil, as operadoras têm licença nas bandas n1 (2100), n3 (1800), n5 (850), n7 (2600) e n28 (700). Todas elas estão presentes desde o iPhone 12 Mini até o iPhone 12 Pro Max.

O 5G é atualmente utilizado por três operadoras no Brasil:
OperadoraTecnologiaFrequência 5G
Claro5G DSSn7 (2600)
Vivo5G DSS(não divulgado)
Oi5Gn1
Até o momento, a TIM mantém uma 5G DSS em Bento Gonçalves (RS), Três Lagoas (MS) e Itajubá (MG), mas apenas para banda larga fixa, no formato FWA. Não há suporte para uso em smartphones, ao menos por enquanto.
iPhone 12 e as frequências do leilão da Anatel

O leilão de frequências dedicadas exclusivamente para a tecnologia 5G deve ocorrer apenas no segundo semestre de 2021, de acordo com estimativa da Anatel.

Ainda assim, quem comprar um iPhone 12 em qualquer lugar do mundo pode ficar feliz: a linha de smartphones da Apple será compatível com as bandas Sub6 que serão licitadas no Brasil. São elas: n40 (2300), n77 (3700) e n78 (3500).
iPhone 12 funciona com 5G mmWave no Brasil?

Um detalhe importante é que o iPhone 12 não será compatível com 5G de ondas milimétricas (mmWave). A Apple até suporta a tecnologia de altas frequências, mas somente no modelo comercializado nos Estados Unidos.

No Brasil, a Anatel designou a banda de 26 GHz para uso com 5G. Nenhum modelo de iPhone é compatível com a frequência, mas não se preocupe muito com isso: as ondas milimétricas têm altíssimas velocidades, mas o alcance de sinal é muito baixo.

O uso desse espectro é inadequado para cobertura de cidades inteiras, e as operadoras devem concentrar o mmWave apenas em locais com alta concentração de pessoas, como estádios, aeroportos e shoppings.
Como ativar o 5G no iPhone 12

Para usar o 5G do iPhone, é necessário estar na área de cobertura da tecnologia e ativar a função.

Vá em em Ajustes;
Escolha Celular, depois Voz e Dados;
Selecione 5G Automático ou 5G Ativado.

Processo de ativação do 5G no iPhone (Imagem: Reprodução/Apple)

É necessário verificar com sua operadora se há alguma restrição relacionada ao chip utilizado ou ao plano contratado – nem toda a ativação do 5G é feita de forma automática.

Com informações: Apple

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget