Outubro 2021


A internet que conhecemos hoje começou a ser desenvolvida há mais de 50 anos. Na época batizada de ARPANET, a rede era bastante arcaica, mas já tinha conceitos parecidos com os atuais. Aliás, não é atoa que a ARPANET é conhecida como a “mãe” da web atual.

No entanto, para que a ARPANET entrasse no ar em 29 de outubro de 1969, alguém precisou ter criado ela, mas quem foi? Em comemoração aos 52 anos da criação da “mãe” da internet (ou uma delas), o Olhar Digital preparou uma série de matérias especiais sobre essa tecnologia que, sem dúvida, mudou os rumos da humanidade.


Primeiro é importante entender que a ARPANET foi criada pelos Estados Unidos durante o auge da Guerra Fria e bom, como quase tudo criado por eles nessa época, a principal intenção com a rede de computadores conectados era o uso militar. Essa versão da web foi desenvolvida para transmitir informações confidenciais de forma mais eficiente entre os diversos departamentos do governo americano.


Sendo de uso militar, é esperado que a ARPANET tenha sido criada justamente pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos, mas especificamente pela então Agência de Projetos de Pesquisa Avançada (ARPA na sigla em inglês), que era ligada ao órgão de defesa. Com isso em mente, saiba que não foi apenas uma pessoa que desenvolveu essa tecnologia.

Sala na UCLA onde aconteceu a primeira conexão à ARPANET, hoje Kleinrock Internet Heritage Site and Archive. O “armário” bege no canto direito é um IMP, o primeiro roteador.

Quem criou a ARPANET?
No geral, os conceitos de design da rede foram desenvolvidos por um grupo de cinco cientistas: Leonard Kleinrock, Paul Baran, Donald Davies e Lawrence “Larry” Roberts. Mas eles não foram, nem de longe, os únicos envolvidos com o projeto. Robert Kahn e Vint Cerf trabalharam nos protocolos de comunicação entre computadores TCP/IP, utilizando conceitos do francês Louis Pouzin.

Lawrence “Larry” Roberts (Imagem: Divulgação)

Bom, já sabemos quem foram os principais cientistas responsáveis, mas quem teve a ideia da ARPANET? O conceito de uma rede de computadores interligados já existia bem antes da rede ser desenvolvida. O cientista da computação Joseph Carl Licklider, em 1963, foi um dos primeiros a detalhar a ideia. Isso fez, justamente, com que ele fosse contratado pela ARPA.



Mesmo que Licklider tenha deixado a agência antes que fosse colocado no projeto, foi ele quem convenceu Ivan Sutherland e Bob Taylor de que era importante desenvolver a ARPANET. Então aqui temos os dois responsáveis por levarem o projeto para a agência.

Na ARPA, Charles Herzfeld foi convencido pela dupla a financiar o projeto e, a partir daí, começou o desenvolvimento. O relatório inicial foi criado por Larry Roberts, que propôs todo o plano para que a ARPANET ganhasse vida. A equipe ainda ganhou o auxílio que Frank Heart e incluiu Robert Kahn e Howard Frank, que lideraram o grupo dos sete cientistas iniciais mencionados no começo da matéria.

Com tantos nomes, vamos relembrar alguns que se destacaram:

  • Lawrence “Larry” Roberts é considerado o principal nome do projeto da ARPANET. Foi ele quem teve a ideia de partilhar recursos através da rede que estava sendo desenvolvida para acelerar o processo. Larry já havia atuado também no MIT e tinha experiência com computação.
  • Robert Kahn foi o responsável pela criação do Transmission Control Protocol (TCP), utilizado até hoje para transmitir dados pela internet.
  • Howard Frank foi PhD em engenharia elétrica e co-escreveu a proposta que foi aprovada pela ARPA. Antes disso, trabalhou na criação de um sistema de dutos de gás natural nos EUA.

  • Leonard Kleinrock é engenheiro e cientista da computação e professor de ciência da computação da Escola de Engenharia e Ciências Aplicadas da Universidade da Califórnia em Los Angeles. Ele criou a teoria das filas, usada como base para a tecnologia que criou a ARPANET.

  • Ivan Edward Sutherland foi um especialista em informática que desenvolveu o editor gráfico Sketchpad, em 1963, para o MIT, aplicação considerada revolucionária na época.

Esses são apenas alguns dos dezenas de cientistas e especialistas que trabalharam no projeto. A ARPANET permaneceu um projeto governamental até 1990, quando foi dissolvida. Seus principais usuários eram centros de pesquisas, universidades e empresas que trabalhavam em projetos para a DARPA, e o uso comercial era proibido. Foi só em 1989 que o grande público pôde participar, ainda que de forma indireta.


Instalando o Windows 11 em um dispositivo que não atende a requisitos mínimos do sistema do Windows 11 (Deixamos bem claro que não é recomendado). Se você escolher instalar o Windows 11 em hardware não qualificado, você deverá estar familiarizado em assumir o risco de ter problemas de compatibilidade e alguns bugs.


Seu dispositivo pode não funcionar corretamente devido a estes problemas de compatibilidade ou outros problemas. Os dispositivos que não atendem a esses requisitos do sistema não serão mais garantidos para receber atualizações, incluindo, mas não são limitados a atualizações de segurança.

O aviso de isenção de responsabilidade a seguir se aplicará se você instalar o Windows 11 em um dispositivo que não atenda aos requisitos mínimos do sistema:


Antes de instalar o Windows 11
Se você não tiver certeza se o seu dispositivo atende aos requisitos mínimos do sistema do Windows 11 e já tem o Windows 10 instalado, você pode baixar o aplicativo de Verificação de integridade do PC, que avaliará a qualificação e identificará os componentes do seu dispositivo que não atendem aos requisitos mínimos. O aplicativo também será vinculado a informações que detalham as etapas que você pode executar para fazer com que seu dispositivo atenda aos requisitos mínimos do sistema. 

Mudando ou Criando uma Chave de Registro antes de instalar o Windows 11
 Antes de instalar o Windows 11 você precisa criar os seguintes valores-chave de registro e ignorar a verificação para TPM 2.0 (pelo menos TPM 1.2 é necessário) e a família e modelo da CPU, Para criar uma nova chave vá até a Lupa do menu iniciar e digite "Editor do Registro" Click e logo em seguida entre nas pastas com os nomes que mostramos abaixo:

Chave de registro: HKEY_LOCAL_MACHINE\SYSTEM\Setup\MoSetup


Nome: AllowUpgradesWithUnsupportedTPMOrCPU


Tipo: REG_DWORD


Valor: 1

ATENÇÃO: se você encontrar esses mesmos valores acima em seu registro o seu Windows 11 estará pronto para ser instalado através de uma mídia física/Pen Drive, se não aparecer essa configuração acima você precisará criar essa chave com os mesmos valores acima, click com o botão direito do Mouse e em "Novo" escolha "Valor DWORD 32 Bits", renomeia com "AllowUpgradesWithUnsupportedTPMOrCPU" dê um duplo click depois que renomear e no campo "Dados do valor" digite apenas o número 1 e click em "OK", depois desse passo você poderá acessar o link abaixo e baixar o instalador do Windows 11 em um Pen Drive com espaço superior a 8GB

"Click aqui para baixar o instalador do Windows 11 no seu Pen Drive"

Depois de instalar o Windows 11
Se você estiver enfrentando problemas após a atualização para o Windows 11 e seu dispositivo não atender aos requisitos mínimos do sistema, recomendamos que você volte para o Windows 10. Selecione Iniciar > Configurações > Sistema > Recuperação > Voltar.

Essa opção só estará disponível por 10 dias após a atualização. Depois disso, os arquivos necessários para executar essa função serão removidos para liberar espaço em disco em seu dispositivo.

Fonte: Microsoft

WhatsApp, Instagram e Facebook caíram devido a uma grande interrupção.



Os três aplicativos - todos de propriedade do Facebook e executados em infraestrutura compartilhada - pararam de funcionar completamente pouco antes das 13h. Outros produtos que fazem parte da mesma família de aplicativos, como o Facebook Workplace, também pararam de funcionar.


Os visitantes do site do Facebook simplesmente viram uma página de erro ou uma mensagem informando que o navegador não conseguiu se conectar. Os aplicativos WhatsApp e Instagram continuaram funcionando, mas não mostraram novos conteúdos, incluindo mensagens enviadas ou recebidas durante os problemas.

As interrupções do Facebook acontecem relativamente raramente, mas tendem a ter um grande impacto, até porque afetam três dos maiores aplicativos do mundo.


A empresa costuma ser enigmática quanto às causas de quaisquer problemas e não tende a explicá-los mesmo depois de resolvidos. Em 2019, por exemplo, sofreu sua maior paralisação em anos - e disse apenas que havia “havido um problema” durante “operações de manutenção de rotina”.


Em uma publicação publicada no The Verge em 2019, o presidente-executivo Mark Zuckerberg observou que tais interrupções são um “grande negócio”. Quaisquer problemas muitas vezes podem levar as pessoas a começar a usar concorrentes em vez disso, e observou que pode levar “meses” para reconquistar a confiança e trazer as pessoas de volta às plataformas do Facebook - se é que voltam.

Em comunicado em sua conta oficial no "Twitter" o facebook publicou o seguinte comunicado.

MKRdezign

Fale com o MultiMidia Info

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget