03/04/21


Imagem: Reprodução/Qualcomm

A Qualcomm anunciou nesta quinta-feira (4) o Snapdragon Sound, um software projetado para fornecer áudio integrado e de maior qualidade em smartphones, fones de ouvido e óculos de realidade virtual. A novidade começará a ser implementada já este ano em dispositivos da Xiaomi, além de uma parceria com o Amazon Music, que disponibilizará uma playlist com músicas selecionadas para mostrar a qualidade de som que o sistema pode alcançar.

De acordo com a fabricante, a qualidade de som pode ser interrompida de muitas maneiras entre usuários e dispositivos. Como muitos aparelhos se conectam entre si simultaneamente, é natural que aconteçam interrupções na conectividade, além de falhas, latência e compressão de áudio. É aí que o Snapdragon Sound, trazendo um som mais robusto e contínuo.


A tecnologia tem suporte para áudio de alta resolução de 96 kHz (24 bits) e até 384 kHz no formato 32 bits, latência ultrabaixa e emparelhamento aprimorado com múltiplos dispositivos. Ela também é compatível com latências de 89 milissegundos para som via Bluetooth em jogos e vídeos, o que, segundo a Qualcomm, é 45% menor do que a latência de áudio da concorrência. Para chamadas de voz, o software promete tornar as falas mais limpas e cristalinas.

Outra característica é que o Snapdragon Sound é otimizado para consumir menos bateria nos smartphones e acessórios, como fones de ouvido sem fio. Isso é bastante útil principalmente se levarmos em consideração que o 5G e o Wi-Fi 6 drenam muito mais rápido a bateria dos dispositivos. A tecnologia também conta com um mecanismo de adaptação dinâmica, que diminui possíveis interferências para garantir a melhor performance de áudio, em conjunto com aprimoramentos na função de cancelamento ativo de ruído.

Ainda segundo a Qualcomm, “para garantir altos níveis de desempenho, todos os dispositivos otimizados com Snapdragon Sound serão testados para interoperabilidade na instalação de teste dedicada da Qualcomm Technologies em Taiwan, em medidas de desempenho que incluem qualidade de áudio, latência e conectividade robusta”.

No Amazon Music, usuários poderão ouvir uma curadoria de músicas em uma playlist chamada Amazon Music HD. As duas empresas afirmam que “usuários poderão ouvir todas as suas músicas e álbuns com todos os detalhes de suas respectivas gravações originas”.

Os primeiros aparelhos com suporte ao Snapdragon Sound serão lançados em 2021. Entre eles todos os smartphones equipados com o novo processador Snapdragon 888.

Fonte:gizmodo

Captura de tela: Netflix/Reprodução.

Nesta quarta-feira (03), a Netflix lançou seu mais novo recurso chamado Fast Laughs (Risadas Rápidas, em tradução livre) que faz com que os usuários possam conferir vídeos curtos e engraçados dos filmes, séries, programas e outros títulos originais dispostos na plataforma. Disponível apenas para usuários de iPhone em países de língua inglesa como EUA, Canada, Reino Unido e Austrália, o recurso ainda não tem previsão de lançamento para o Brasil.

A exibição dos trechos é feita na vertical, como se estivesse assistindo a um story ou um vídeo no Reels, como no Instagram. Entretanto, o conteúdo e a interface foram claramente inspirados no Tiktok, o que não é necessariamente ruim, uma vez que vai ser uma experiência complementar para quem já é um consumidor do serviço.

Segundo as informações divulgadas, para conferir a função, basta clicar na opção que vai estar aparecendo na parte inferior da tela do aplicativo. Ao todo, serão disponibilizados até 100 novos vídeos por dia, com direcionamento automático dos produtos apresentados para dentro da plataforma, o que vai permitir a descoberta de obras escondidas do catálogo. Além disso, vai ser possível usar um filtro de classificação por idade e optar pelo compartilhamento via WhatsApp, Instagram, Snapchat e Twitter.
A duração pode levar de 15 a 45 segundos, dependendo da “sacada”. Ah, caso o conteúdo seja realmente engraçado e te divirta, você pode clicar na reação “LOL”, assim como no Facebook você dá “amei” para uma postagem sobre cachorrinhos fofinhos.

Entre os títulos que já conferem este novo conteúdo estão os programas de stand-up 23 Hours to Kill, Baby Cobra e Douglas; os programas de TV The Crew e Schitt’s Creek, bem como os filmes Mistério no Mediterrâneo e Moxie, que estrou na plataforma nesta semana. Sempre lembrando que este recurso não está disponível no Brasil, o que explica algumas diferenças de catálogo.

Recentemente, a Netflix anunciou que vai liberar o modo aleatório para todo mundo — uma solução esperta para quem não quer perder tempo decidindo o que ver. Outra novidade é o download automático de títulos com base no que o usuário gosta. O serviço também vem testando uma programação contínua, como se fosse um canal de TV. Na disputa cada vez mais acirrada entre os serviços de streaming, a empresa já decidiu suas armas: ajudar o consumidor a encontrar o que gosta, nem que seja em vídeos curtinhos.

Via: [Variety]

Crédito: Solen Feyissa (Unsplash)

Há um tempo, o Google vem se aproximando dos veículos de notícias para dar maior visibilidade ao conteúdo produzido por fontes consideradas confiáveis. Em outubro, a gigante da tecnologia lançou o “Destaques” (oficialmente conhecido como Google News Showcase) e, agora, essa seção vai receber novos investimentos e funcionalidades.

A principal novidade é que os usuários poderão acessar conteúdos restritos por paywall. Você provavelmente já deve ter passado pela frustração de tentar ler uma notícia e ser barrado pela mensagem convidando você a se tornar um assinante. Porém, muitos veículos dependem financeiramente desse método de monetização. Assim, para que ninguém saia prejudicado, o Google disse que está disposto a bancar isso.

Em uma publicação em seu blog, a empresa afirma que vai pagar aos seus parceiros para que ofereçam acesso limitado ao conteúdo protegido por paywall aos usuários do Destaques. Caso o leitor queira acessar uma matéria, ele deverá se cadastrar no site da publicação. Segundo o Google, isso vai oferecer uma oportunidade para o veículo criar um relacionamento com o público, facilitando a criação de estratégias de geração de receita no futuro.

Outra novidade é uma espécie de curadoria personalizada. O painel de Destaques agora vai incluir uma lista de conteúdos selecionados pelos sites mais acessados pelo usuário. Para que você não fique com um repertório de notícias muito limitado, a seção “Para Você” também vai mostrar outras publicações relevantes, enquanto a “Banca” vai permitir que você descubra novos painéis.

Junto com essas atualizações, o Google decidiu levar o Destaques para os usuários do iOS e para o site mobile do Google Notícias. Em breve, ele também estará disponível no Discover. Para que os editores possam ter uma visão mais detalhada da audiência, as métricas do Destaques serão exibidas no Search Console.

No Brasil, cerca de 30 veículos fazem parte dos Destaques, incluindo Estadão, UOL, Piauí, O Tempo, Istoé, Jornal Meio Norte, Folha de Pernambuco, entre outros.

Fonte: gizmodo

Imagem: Sam Rutherford

Sabemos que o Spotify e Apple Music são as gigantes do streaming de música, mas graças a um novo acordo avaliado em US$ 297 milhões (cerca de R$ 1,6 bilhões, na conversão atual), a Square — uma plataforma de serviços financeiros e pagamentos pelo celular com forte presença nos EUA — está tentando mudar essa situação ao adquirir uma participação majoritária no Tidal.

Em uma série de tuítes, o fundador e CEO da Square, Jack Dorsey (que também é o CEO do Twitter), explicou a aquisição dizendo que, embora uma empresa de fintech como a Square não tenha muito em comum com o serviço de streaming de música, ele acredita que ambas possam trabalhar juntas para criar um negócio verdadeiramente voltado para os artistas.

Dorsey apontou em um dos tuites que “novas ideias estão nas interseções, e acredita existir uma ideia convincente entre a música e a economia. Fazer a economia funcionar para os artistas é semelhante ao que a Square fez para os vendedores”. Ok, então.

Como parte do negócio, o famoso rapper e ex-proprietário majoritário do Tidal, Jay-Z, se juntará ao conselho de diretores da Square, mantendo uma participação menor na empresa de streaming de música. Enquanto isso, Jay-Z vai ajudar a supervisionar uma parte maior dos negócios da Square, incluindo as ferramentas Seller e Cash App. O chefe de hardware da Square, Jesse Dorogusker, servirá como líder interino do Tidal.

Um serviço de música executado e projetado para apoiar grandes e pequenos artistas parece muito bom, mas ainda não está claro como a Square pretende fazer isso acontecer. Mesmo assim, com base no sucesso de outros empreendimentos da Square, como o já citado Cash App, Dorsey parece confiante de que a companhia será capaz de transformar o Tidal de uma forma semelhante.

“Vamos começar pequeno e nos concentrar nas necessidades mais críticas dos artistas e aumentar suas bases de fãs”, disse Dorsey.

Ao que parece, vai demorar algum tempo até que esta união de forças dê frutos visto que, de acordo com a Bloomberg, a Square diz que o Tidal não deve ter um impacto significativo nas vendas ou nos lucros da empresa neste ano. Dorogusker diz que a empresa está menos focada na participação de mercado do streaming de música e mais interessada em ver as ideais de Dorsey e Jay-Z para criar um negócio voltado para os artistas.

Fonte: gizmodo

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget